terça-feira, 12 de julho de 2011

ELEMENTAIS

     Paracelso nos diz o seguinte sobre os "segane" ou espíritos elementais da natureza:
   "Há duas espécies de carne. Uma que vem de Adão e outra que não vem de Adão. A primeira é material e grosseira, visível e tangível para nós, enquanto a outra não. Se um homem que descende de Adão quer passar por uma parede, primeiro tem que fazer um buraco nela. Porém um ser que não descende de Adão não precisa fazer nenhum buraco ou porta, porque pode passar pela matéria que nos parece sólida, sem que esta lhe cause qualquer dano. Os seres que descendem de Adão, da mesma forma como os que dele descendem, estão organizados e tem corpos substanciais. Porém há tanta diferença entre a substância que compõem seus corpos, como a que há entre a matéria e o espírito. No entanto, os elementais não são espíritos porque tem carne, sangue e ossos. Eles vivem e propagam a sua espécie, comem, falam, trabalham, dormem, etc. Por conseguinte, não podem propriamente ser chamados de espíritos. São seres que ocupam um lugar entre os homens e os espíritos, parecendo-se aos homens e mulheres em sua organização e forma e parecendo-se aos espíritos na rapidez de sua locomoção. São seres intermediários ou compostos, formados de duas partes em uma, da mesma forma como duas cores misturadas parecerão uma só cor, não se assemelhando a nenhuma das duas cores originais.
     Os elementais não tem princípios superiores. Por isso mesmo não são imortais e quando morrem, parecem como os animais. Nem a água e nem o fogo podem causar-lhe danos e, não podem ser encerrados em nossas prisões materiais. No entanto estão sujeitos a enfermidades. Seus costumes, ações, formas, maneira de falar, etc. não são muito diferentes das dos seres humanos. Porém, há muitíssima variedades. Possuem só o intelecto animal e são incapazes de desenvolvimento espiritual". (Lib. Filos. II).

     "Estes espíritosa da natureza não são animais. Possuem razão e linguagem como o homem. tem mente, porém não tem alma espiritual. Isto pode parecer estranho e incrível, porém as possibilidades da natureza não estão limitadas pelo conhecimento que o homem tem delas e a sabedoria de Deus é insondável. Tem filhos e este são como eles. O homem foi feito à imagem de Deus e pode-se dizer que eles foram feitos à imagem do homem. Porém o homem não é Deus e os espíritos elementais da natureza não são seres humanos, ainda que se pareçam com o homem. Seus costumes assemelham-se aos dos homens: trabalham, dormem, comem, bebem, fazem suas roupas e, assim como o homem está mais perto de Deus, eles estão mais perto do homem". (Lib. Filos. II).

     "Vivem nos quatro elementos: as ninfas ou ondinas na água, as sílfides no ar, os pigmeus ou gnomos na terra e as salamandra ou vulcanos no fogo. Cada espécie locomove-se unicamente no elemento a que pertencem e nenhum deles pode sair do seu próprio elemento. Para cada ser elemental, o elemento em que vive é transparente, invisível e respirável como a atmosfera o é para nós."

     As quatro classes de espíritos da natureza não se relacionam entre si. Os gnomos não se comunicam com as ondinas ou as salamandras, assim como os sílfides também não se comunicam com nenhuma delas. O elemento no qual o homem respira e vive é o ar, porém para as ondinas a água é, o que o ar é para nós. Se nos surpreendemos de quem estejam na água, também elas podem se surpreender de que estejamos no ar. Assim pois, o elemento dos gnosmos é a terra. Passam pelas rochas, paredes e pedras como um espírito porque tais coisas são para eles tão grandes obstáculos como o ar é para nós."

     Com respeito à personalidade dos elementais, pode-se dizer que os que pertencem ao elemento água parecem-se aos seres humanos de ambos os sexos. Os elementais do ar são maiores e mais fortes. As salamandras são longilíneas, delgadas e secas e os gnomos são de dois palmos de altura, porém podem alongar a sua forma até que se pareçam com gigantes.

     Os elementais do ar e da água, as sílfides e ninfas, são de bondosa disposição para com o homem. As salamandras não podem se associar por causa da sua natureza ígnea do elemento em que vivem. Agora, os gnomos são geralmente de natureza maliciosa. Eles constroem casas, abóbadas e edifícios de estranhos aspéctos com certas substâncias semimateriais desconhecidas para nós. Trabalham com alabastro, mármore, cimento, etc., porém este material é tão diferente do nosso como o fio da teia de uma aranha é diferente do fio do nosso linho.
     As ninfas tem suas residências e palácios na água, a sílfides e salamandras não tem moradias fixas. Em geral, os elementais aborrecem-se com pessoas presunçosas e obstinadas, não gostam de dogmáticos, céticos, bêbados e glutões, assim como também não lhes agradam os brigões e gente vulgar de todos os tipos. Contudo, amam os tipos naturais que tem a mente simples e são como crianças: inocentes e sinceros. Quanto menos vaidade e hipocrisia haja no homem, mais fácil será a aproximação. Porém, se ocorre ao contrário, tornam-se tão reservados e avessos ao homem como os animais selvagens.
     Algumas vezes são vistos sob diversas formas. As salamandras tem sido vistas como bolas ou línguas de fogo correndo pelos campos ou aparecendo nas casas. Tem havido casos em que as ninfas adotaram formas humanas, vestindo-se, adotando maneiras humanas e entrando em união com o homem. Existem certas localidades em que grande número de elementais vivem juntos. Também tem ocorrido que um homem tenha sido admitido em sua comunidade, que tenha vivido com eles por algum tempo ou que se tenham feito visíveis e tangíveis para ele.
     Os anjos são invisíveis para nós. No entanto, um anjo pode aparecer a nossa visão espiritual. O homem, igualmente, é invisível para os espítos da natureza. Aquilo que as ondinas sabem de nós assemelha-se simplesmente ao que sabemos delas através dos contos de fadas. As ondinas podem aparecer ao homem, porém não o homem a elas. O homem é denso no corpo e sutil no caos. Por isso mesmo, elas podem entrar em seu caos (plano astral) e aparecer a ele, permanecer com ele, casar e conceber filhos dele. Assim, pois, uma ondina pode casar com um homem, morar com ele e seus filhos serão seres humanos e não ondinas, porque recebem uma alma humana do homem.
Ademais, a própria ondina recebe, por causa disto, o germe da imortalidade. O homem está ligado a Deus por meio da sua alma espiritual. Se uma ondina se liga ao homem, ficará por causa disto, ligada a Deus. Assim como uma ondina sem união com um homem morre como um animal, igualmente o homem é como um animal se destrói a sua união com Deus.

ONDINAS SEDUZINDO UM HOMEM

     Por isso mesmo, as ninfas estão ansiosas para se unirem com o homem. Procuram se tornar imortais por meio dele. Tem mente e intelecto como o homem, porém não possuem uma alma imortal como a que obtivemos de Deus. Porém os espíritos da terra, do ar e do fogo rara vez se casa com um ser humano. Podem, no entanto, apegar-se e entrar para o seu serviço. Não se deve se supor que sejam algo aéreo ou simplesmente espectros ou visões. Pois, devemos nos lembrar que são de carne e sangue, apenas mais sutis, em sua composição, que o homem.  As ninfas as vezes saem da água e pode-se vê-las sentadas na margem, perto de onde vivem 


ONDINAS BRINCANDO ENTRE SI


ONDINAS NA PRAIA, PRÓXIMAS A UM GUERREIRO



                                    SÍLFIDES 

AS SALAMANDRAS SÃO OS PONTOS DE LUZ.

                                               GNOMOS
GNOMOS: OS GUARDIÕES DOS MINÉRIOS COMO O OURO.



OBS.1: TODAS AS INFORMAÇÕES AQUI DESCRITAS SOBRE OS ELEMENTAIS FORAM RETIRADAS DO LIVRO OS ELEMENTAIS DE FRANZ HARTMANN. FAMOSO OCULTISTA, LIDO E RESPEITADO POR TODOS AQUELES QUE DESEJAM TRILHAR A SENDA DA MAGIA E DO OCULTISMO, DE FORMA SÉRIA E SINCERA.

OBS.2: APESAR DE A DESCRIÇÃO DO AUTOR A CERCA DOS ELEMENTAIS PARECEREM INCRIVELMENTE FANTASIOSA, DEVEMOS LEMBRAR QUE, MUITO DO QUE ACHOU-SE IMPOSSÍVEL E QUE FORA MOTIVO DE CHACOTA NO MEIO CIENTÍFICO, ANOS MAIS TARDE FOI COMPLETAMENTE COMPROVADO. COMO É O CASO DAS MUITAS DIMENSÕES EXISTENTES, E NÃO SOMENTE AQUELAS A QUE TEMOS ACESSO; BEM COMO AS VIAGENS ASTRAIS (EXISTINDO, INCLUSIVE CENTROS DE PESQUISAS VOLTADOS EXCLUSIVAMENTE PARA ESTE ASSUNTO, NOS QUAIS TAIS VIAGENS SÃO, DE FORMA ESPANTOSA PARA ELES, ATESTADAS SEMPRE E SEMPRE).

quinta-feira, 30 de junho de 2011

IMPRESSIONANTE!

     Nossa... Estou com o coração a mil! Coisas impressionantes tem acontecido desde que me voltei para a magia. Inicialmente a minha intuição aumentou, etc...
     Escrevi meu livro e agora, estava na parte de brincar. Escolher capa, contra-capa, imagens internas, etc. No livro, vocês vão ver, relato uma ponte, um jardim. Então, lá vai eu procurar uma imagem na Net, que eu pudesse usar (livre de direitos autorais). E qual não foi a minha surpresa, quando me deparo com a mais completa e perfeita imagem para o meu relato. É uma das pinturas de Monnet, no qual ele ilustrou o seu jardim, e que aparece uma ponte branquinha.
     É surpreendentemente lindo!

     Eis a imagem. Logo, postarei um pedacinho do livro, como já havia promentido.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

FOTOS DE YULE (21/06/2011)

Aí gente, após muitas tentativas, enfim consegui!
MEU ALTAR: SIMPLES, MAS BONITO!


OLHA LÁ, VISTO DE CIMA.

A TORA DE YULE

O ALTAR VISTO DE MAIS PERTINHO.


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Meu livro...

     Bom dia! Estava tentando postar as fotos da comemoração de Yule (de ontem) para vocês, mas não sei o que está acontecendo que, mesmo tentando de tudo não consegui. Prometo tentar mais tarde.
     Bem, mas não tem problema, vou falar para vocês então, do meu livro. É, escrevi um livro! Na verdade desde os onze anos, histórias e mais histórias ganham forma e emoções em minha mente e, apesar de desde aquela época tentar pôr no papel, aquelas pessoas interessantes que habitavam a minha imaginação, não conseguia. Até tentava contar suas histórias, mas acabava por não acabar. Porém, no ano passado, resolvi assumir a wicca de uma vez por todas, pois é algo que estava dentro de mim, em minha essência, em minha alma e, a alma a gente não "arranca". Nega-la era negar a mim mesma, ao meu verdadeiro mundo. "E o que o livro tem haver com a wicca?" _ Você deve estar pensando. Pois é, tem tudo!
     Percebi que ao contrário do que muitas religiões pregam por aí, você não precisa ser um pobretão para venerar a Deus (ou aos Deuses). A riqueza, não tem co-relação com o "pecado". Pecado na verdade, é fazer mal uso do dinheiro. A harmonia consiste em você viver bem, em todos os aspectos da sua vida. Inclusive o financeiro. Então, resolvi pedir uma ajudinha financeira aos Deuses. Tanto pedi, tanto pedi que...
    
     Estava deitada no sofá da sala, uma tade, o sono começando a chegar. Então, neste estágio do sono, onde não se estar nem dormindo, nem em vigília... Na transição dos mundos, ouvi uma voz feminina. "Os números que você quer está na placa da loja ... , na Rua ..." _ Então eu pense: Eu estou sozinha em casa. Então quem está sussurrando ao meu ouvido? _ Virei-me apressadamente e, quase caí do sofá. Resultado: com o susto, esqueci de onde era a placa e de qual era a rua que ela havia falado. E então, eu me dei conta de quem havia sussurrado ao meu ouvido. Ela deve ter me achado uma boba. E se fosse galhofeira, certamente teria rido muito da oportunidade que desperdicei.
   Mas pensam que eu desisti? Não mesmo! Continuei pedindo uma forma de mudar de vida. Então, um certo dia, no trabalho, quando tudo estava tranquilo, peguei um papel e uma caneta e comecei a escrever o esboço de um diário, comecei a me transformar em outra pessoa, soltei as rédeas da minha imaginação e escrevi todo o primeiro capítulo do meu livro. Fluia como água de uma fonte de abundância. Como a cornucópia, com a sua fartura. Ao terminar, sentia uma felicidade resplandecente; mas era como se tudo o que deveria ser escrito naquele momento, já tivesse sido passado para o papel. Larguei a caneta e li com avidez tudo o que acabara de escrever. Fiquei emocionada. Não prateei, mas sorri. Sorri para mim mesma, para quem me ajudara a escrever e, enfim entendi. O meu pedido foi ouvido, e me foi dado a oportunidade da forma que eu tanto sonhara, mas que jamais tive coragem de executar. Escrever!
     Era incrível, a inspiração não cessava, como das outras vezes. Eu era cada personagem, com seus conflitos, suas alegrias, suas tristezas, suas desilusões, suas esperanças, suas paixões... E me deixei levar nas asas do anjo que praticamente me ditava (não entenda como psicografia, por favor, pois não foi). Havia momentos em que colocava os personagens em situações, que não me sentia capaz de os tirar; entretando, quando sentava-me para escrever, tudo tornava-se claro. Como uma história que já acontecera e, apenas precisava ser contada. A noite, quando a minha bebê já estava dormindo e, até mesmo o meu marido já entregara-se ao sono, eu sentava-me e lia aquelas páginas, com um misto de alegria, de surpresa e de satisfação. Meu coração enchia-se de agradecimento aos Deuses. Pois no livro, há coisas que me fora ensinado e que, depois em pesquisas, descobri que relamente fazem parte do mundo mágico dos iniciados. Então, houve um momento em que o espírito aquariano falou mais forte e, eu abandonei o livro, acho que por uma semana inteira. O antigo habito de deixar as coisas pela metade... Contudo, em uma manhã, entrei na segunda sala do arquivo, para guardar alguns documentos, quando ouvi nitidamente uma voz masculina atrás de mim. "_ O que você pediu, lhe foi dado. Por que não está escrevendo? Não desperdice a oportunidade!"_ Vocês podem imaginar como eu me senti? a surpresa foi tremenda. Fiz todo o meu trabalho e, ao terminar, sentei e fui escrever o meu livro. Pensam que fiquei um segundo sequer, me perguntando como continuar? Que nada, as palavras vinham tão rápidas e as emoções surgiam com uma velocidade que, as vezes os meus dedos não acompanhavam, na digitação.
     Terminei o livro em três meses, com todos os meus compromisso de trabalhar fora, mãe, esposa, dona de casa... Foi um tempo curto, não acham? E ele ficou lindo! Sei que pareço mãe coruja, mas é que ele ficou mesmo lindo. Até hoje, quando o tomo nas mãos para ler, agradeço aos Deuses pela inspiração maravilhosa. Registrei o filhote (é eu tenho o ISBN). E em breve, posto aqui alguma coisa dele para vocês verem que eu tenho razão, quanto a dizer o quanto ele é bom. Até um amigo meu, que a tudo critica, o achou muito bom! Para mim foi um super elogio. Estou dando os ultimos retoques, para deixar ele ainda mais interessante, para os que se interessam por ocultismo, e então ele estará disponível para quem quizer, aqui, no clube dos autores e em locais que indicarei aqui. 
 

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ECLIPSE DE 15/06/11

     E então gente, vocês viram o eclipse de ontem? Foi o primeiro eclipse lunar de 2011.
     De acordo com alguns cientistas, o eclipse lunar desta quarta-feira durou cerca de uma hora e quarenta minutos. O melhor horário para observar o evento de ontem foi das 18h às 19h.
    
Para quem não viu e para quem quer ver de novo:


video


     Geralmente acontecem 4 eclipses a cada ano, porém, este ano, excepcionalmente teremos 4 eclipses solares parciais e dois lunares totais, num total de 6. Os eclipses lunares sempre foram considerados maléficos, pois estimulam ao máximo o lado psíquico da mente humana. A Lua sempre foi relacionada com as cerimônias de magia especialmente em épocas antigas quando os homens viviam mais em comunhão com nosso planeta e buscavam despertar com as cerimônias lunares a fertilidade da terra que cultivavam e que lhes dava alimento. Para que o eclipse lunar ocorra, é necessário que a Terra projete sua sombra sobre a Lua que vai perdendo seu brilho aos poucos. Para que isso ocorra é necessário que o alinhamento entre a Terra, a Lua e o Sol sejam exatos. Torna-se igualmente necessário para este efeito que tanto a Terra como a Lua estejam posicionadas na linha dos nodos. Se assim acontecer temos reunidas as condições necessárias para a ocorrência de um eclipse. Se todo este alinhamento especial acontecer quando a Terra está entre o Sol e a Lua, observando-se a fase lunar de Lua cheia, acontece um eclipse lunar total que pode ser acompanhado por todos os observadores posicionados num mesmo hemisfério da Terra em que seja noite.


ECLIPSES DE 2011:


ECLIPSE SOLAR PARCIAL EM 4 DE JANEIRO DE 2011    


     O primeiro eclipse de 2011 aconteceu em 04 de janeiro quando o nó lunar ascendente encontrou-se na constelação de Sagitário e o Sol e a Lua estiveram alinhados na 14º de Capricórnio. Ela foi visível na maior parte da Europa, África do Norte e Ásia central. A sombra penumbral da Lua, interposta entre a Terra e o Sol, atingiu a superfície da Terra no norte da Argélia às 06h40 da manhã, se deslocando para a Europa – Madrid, Paris, Londres e Copenhagen, já nas primeiras horas do dia. O eclipse atingiu seu auge na Suécia por volta das 08h50 (UT). No Brasil, não vimos este eclipse.

ECLIPSE PARCIAL DO SOL EM 01º DE JUNHO DE 2011

     Este eclipse solar aconteceu com o nó descendente lunar e o Sol e a Lua alinhados no signo de Gêmeos. Novamente, ele foi visto somente no hemisfério Norte, começando na Sibéria e norte da China por volta das 19h25 (UT). O Eclipse foi visível também no Alaska, Canadá e Nova Escócia pode ser visto, assim como na Islândia, no máximo de magnitude. Depois foi se deslocando até a Finlândia, Noruega e Suécia.

ECLIPSE LUNAR TOTAL DE 15 DE JUNHO DE 2011

     O primeiro eclipse lunar de 2011 ocorreu com o nó lunar na constelação de Touro e com o nó norte da Lua adentrando a parte sul de Ofiocus a 7º graus a nordeste da mais brilhante nuvem de estrelas de Sagitário. Estando a Lua e o Sol alinhados com Aldebaran no signo de Gêmeos. A Lua passará na parte mais profunda da sombra da Terra durante um tempo muito longo, que durará até 100 minutos! A Lua entrou na sombra da terra às 17h25 (UT) e sai da sombra às 23h00 (UT). Este eclipse,  deixou particularmente visível a Via Láctea e principalmente algumas estrelas importantes como Antares, Arturus e Altair.

ECLIPSE SOLAR PARCIAL DE 1º DE JULHO DE 2011

     Uma lunação apenas após a anterior acontece o terceiro eclipse solar do ano. Com o nó descendente da Lua ao oeste da constelação de Gêmeos e a Lua e o Sol se alinhando a 9º do signo de Câncer. Este evento estará visível no Oceano Antártico ao sul da África. O apogeu do eclipse acontece às 08h38 (UT). É possível que este eclipse não seja visto por ninguém já que acontece em areas tão remotas e inóspitas de nosso planeta!

     Outro eclipse solar parcial acontecerá em 25 de novembro de 2011. Este será o quarto eclipse solar de 2011 e ocorrerá com o nodo ascendente lunar ao oeste da constelação de Escorpião e com a Lua e o Sol em alinhamento no signo de Sagitário. O eclipse será visível no hemisfério sul incluindo parte da áfrica do Sul, a Antártica, a Tasmânia e parte da Nova Zelândia. O ápice do eclipse acontecerá às 06h20 (UT) e será o maior do ano.

ECLIPSE LUNAR TOTAL DE 10 DE DEZEMBRO DE 2011
O ULTIMO ECLIPSE DE 2011 SERÁ VISIVEL EM TODO O BRASIL
.


     A Lua e o Sol estarão alinhados a 2 º graus do signo de Sagitário e o nó lunar na constelação de Touro e a 14º do signo de Gêmeos. A trajetória orbital da Lua atravessa a metade inferior da sombra da terra. Apesar deste eclipse não ser central, ela levará até 51 minutos. O eclipse iniciará em penumbra às 11h30 UT e terminará às 17h30. O evento inteiro será visível desde a Ásia e Austrália, America do Sul e Antártica, principalmente. Outros países terão uma visão parcial. No instante do apogeu (14h32 UT) a Lua estará no zenith no Oceano Pacífico perto das ilhas Marianas.
     A estrela Antares estará em alinhamento com o Sol e com a Lua e as estrelas Algool, Aldebaran, Alcione, Beltegeuse, Pollux e Capella estarão particularmente visíveis.
     Este eclipse marcará acontecimentos importantes que poderão vir a perturbar profundamente nosso país em 2012!
Informações retiradas e adaptadas da Graziella Marraccini (Somos Todos Um).


quarta-feira, 15 de junho de 2011

Quando os mundos se encontram...

     Bom dia gente! Estou postando cedinho, porque ainda estou eufórica com os ultimos acontecimentos. Há coisas que realmente não posso contar... Uma delas é o meu nome mágico. Apesar de ser iniciada, nunca me preocupei com um Nome; até tinha alguns nomes que gostava, e que pensava em, se me decidisse por adotar um nome para os rituais, escolhê-los. Contudo, a mais ou menos uma semana, quando pensava seriamente em construir um blog, comecei a rascunhar em um caderno e, no rascunho iniciaria com o meu nome... Tipo: "Oi gente o meu nome é Luciana, etc..." Mas, para a minha surpresa, o nome que me veio a cabeça foi outro. Como assim, eu errei o meu nome? _ Pensei. _ E, novamente, quando comecei a formular o início do blog, o nome veio, claro e firme. "Meu nome mágico!"_ Disse para mim mesma eufórica. Confesso para vocês que, não era exatamente o nome que eu escolheria, ele não é bonito como tantos outros. Parti para a net, para pesquisar sobre o nome. Descobri que pertence a uma Divindade celta e, que a Divindade que o "carrega", tem muito a ver comigo mesma. Características da minha personalidade, que outras divindades, com nomes lindos não tem. Então tá, aceitei.
     Descobri que não posso contar para vocês qual é, porque, iniciei o blog várias vezes com o tal nome e, a página simplesmente se fechava e, eu tinha que começar tudo de novo. Até que, simplesmente o computador se desligou. _ "Tudo bem. Eu já entendi!"_ Disse. Então, liguei o pc e, comecei da forma que vocês estão vendo aqui e, deu tudo certo.
    

     A outra coisa que quero contar para vocês, é sobre o que aconteceu ontem. Parece que, quando nos comprometemos de verdade, com os Deuses, eles nos presenteiam com uma generosidade sem tamanho. Com um carinho descomunal mesmo. É como um estímulo para não nos desviarmos do caminho a que nos propusemos a trilhar. Principalmente eu, aquariana que, inicia um monte de coisa, se interessa por um monte de assunto e, deixa tudo pela metade. Inacabado. Como se tudo caisse na rotina, com muita rapidez.
     Era vinte e duas horas, resolvi tomar banho, para ir me deitar. O jato de água estava fortíssimo, então, abri o registro até o final, para não ficar "estourando". Tomava banho tranquilamente quando, de repente... a água acabou. Fiquei sem entender. Como assim a água acabou de uma vez? Olhei o chuveiro... Nem uma gotinha. Levei a mão ao registro e, o abri; para a minha surpresa, a água jorrou abundante. Ou seja... Alguém o havia fechado. Mas quem? _ Na moral, até no banho é?_ Perguntei. Apesar de estudar magia, já a tanto tempo, não vou me fazer de fingida e dizer que não senti medo. Senti sim. Não mais da forma que sentia antes, que saía como uma maluca, correndo e gritando pelo meu marido (ou pela minha mãe, antes de casar). Sou mais controlada, apenas apresso o que estou fazendo, para sair logo de onde estou. Pois, apesar de sempre sentir presenças, ouvir vozes, ter experiências ditas "sobrenaturais", não quero ver ainda. Eu via antes, não sei como, mas consegui bloquear a visão, do que não está no plano físico e, acho que, ainda não estou preparada para voltar a enxergar os espíritos.

     Bom galera, aí está o meu depoimento! Espero comentários e o compartilhamento de experiências também de vocês. Tenham um bom dia!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Sabbath de Yule - 21 de junho (Hemisfério Sul) / 21 de dezembro (Hemisfério Norte)

     No Sabbath de Yule, comemoramos o renascimento do Deus. Quando a Deusa, em seu aspécto Mãe, dá a luz ao Deus Sol. Em Yule, podemos ver claramente o quanto o cristianismo absorveu do Paganismo; pois é impossível conhecer os ritos deste sabbath, sem recordar do natal cristão. A árvore de Yule, remete à árvore de natal; as cores vermelho (fogo) e verde (a tora de Yule), são exatamente as cores típicas do natal.

    Bom, mas falta apenas oito dias, para comemorarmos Yule, e eu estou empougadíssima, afinal, quem nal gosta de uma boa festa?

    Se você é wiccana(o) e também vai comemorar Yule, comece a se preparar:
  • No altar, forre uma bela toalha, de preferências vermalha, verde, dourada ou branca;
  • Vá escolhendo uma árvore bem bonita;
  • Lembre-se dos enfeites que deverão ser pendurados na árvore. Se você puder confeccioná-los, tanto melhor.
  • Consiga uma tora (colocarei exemplos abaixo), pois ela faz parte dos ritos desta data;
  • Escolha a roupa que irá usar;
  • Não esqueça de comprar as velas (branca, vermelha e preta), que representarão a triplicidade da Deusa;
  • A bebida, a comida e se não vai comemorar sozinho, lembre-se de já ir convidando os amigos. Se é um(a) bruxo(a) solitário(a), não preocupe-se, certamente haverá com você Deuses, anjos, e todas as criaturas encantadas, que você convidar.
EXEMPLO DE ÁRVORES E TRONCOS PARA YULE:


Se você tem um bonsai, ficará lindo.


Mas um pinheirinho, ainda que envasado, também servirá muito bem.


Linda tora.


Perfeita, não acham?

AGORA VAMOS A ALGUMAS RECEITAS:

* TORA DE YULE:


Para a massa:
04 ovos
04 colheres de sopa de açúcar
04 colheres de sopa de trigo
02 colheres de chocolate em pó

Bata as claras em neve, junte as gemas, o açúcar aos poucos e continue a bater até ficar bem firme. Sem parar de bater acrescente o Chocolate em pó e por último acrescente o trigo.
Despeje o conteúdo em uma assadeira retangular, forrada com papel-manteiga untado com margarina por aproximadamente 15 minutos. Depois de assado desenforme sobre um guardanapo úmido, retire o papel, pincelando-o com água fria.
Para o recheio.
01 lata de leite condensado cozida
02 de colheres de sopa de coco
Um pouco de leite

Despeje o doce de leite numa panela, acrescente o coco e aos poucos o leite que serve para deixar o recheio mais fácil de espalhar sobre a massa. Deixe em esfriar por alguns minutos para em seguida, com ajuda de uma espátula, espelhar o doce sobre a massa. Feito isso, com o auxílio do guardanapo enrole o rocambole e leve à geladeira.
Cobertura
01 lata de creme de leite sem soro
01 tablete de chocolate

Leve o Creme de Leite Nestlé ao banho-maria, até a água ferver. Desligue o fogo, junte o Chocolate picado e mexa até derretê-lo completamente e formar uma mistura homogênea. Aplique sobre a massa depois de frio.

Kleinur de Yule (biscoitos de raio de sol)900g de farinha de trigo
240g de açúcar branco
60g de margarina
1 colher (das de chá) de extrato de baunilha
1/2 colher (das de chá) de bicarbonato de sódio
5 colheres (das de chá) de fermento em pó
1/2 litro de leite
1 ovo


Misture a margarina na farinha e depois o ovo e os outros ingredientes secos. Abra um buraco na massa e coloque o leite e o extrato (ou essência comestível) de baunilha, misturando até obter uma massa homogênea, lisa e sem caroços. Deixe a massa repousar por aproximadamente duas horas e estique-a em uma superfície lisa com um rolo de macarrão. Corte com uma xícara de café para que os biscoitos fiquem redondos e, com um palito de dente, faça raios de saem do centro do biscoito, imitando os raios solares. Pincele com gema de ovo e coloque-os em uma assadeira untada com manteiga ou margarina e farinha de trigo e leve ao fogo médio até assar.

Bolo de Yule
1 xícara de mel
1 xícara de açúcar
1 xícara de manteiga
5 ovos
2 xícaras de farinha de trigo
3 colheres de sopa de iogurte
Casca de um limão ralado
1 pitada de manjericão
1 colher de sobremesa de fermento
2 maçãs cortadas em rodelas no sentido horizontal e com casca


Bata bem o mel, o açúcar e a manteiga, acrescentando posteriormente os ovos. Misture a farinha de trigo e os outros ingredientes da receita (exceto as maçãs). Unte com uma forma com manteiga e polvilhe-a com uma mistura de açúcar e canela em pó, colocando em cima dessa mistura as rodelas de maçã e, sobre elas, a massa do bolo. Leve ao forno pré-aquecido para assar.
Molho de amendoim dourado

1/2 xícara (das de chá) de cebola picada
3 xícaras (das de chá) de água
1 xícara (das de chá) de manteiga de amendoim
1 colher (das de sopa) de margarina
1 colher (das de sopa) de suco de limão
2 colheres (das de chá) de curry
1/2 colher (das de chá) de pimentas vermelhas secas e picadas


Em uma panela, aqueça a margarina e doure a cebola até ela ficar translúcida. Acrescente a água e a manteiga de amendoim, mexendo até ficar com uma textura fina. Adicione os demais ingredientes e sirva quente. Este molho acompanha frango cozido ou assado, carne bovina e de porco. Sirva-o com arroz temperado com ervas frescas.
Canja de galinha para Yule

1 peito de franco ficado ou filé de frango
3 dentes de alho amassados
1 cebola ficada
1 tomate picado
2 tabletes de caldo de galinha
1 xícara (das de chá) de arroz cru, lavado e escorrido
1 cenoura ralada
2 colheres (das de sopa) de azeite de oliva
Cheiro verde a gosto
Queijo parmesão ralado

Coloque o azeite em uma panela e doure o alho, quando ele estiver amarelinho adicione o frango e deixe fritar. Acrescente a cebola, o tomate, os tabletes de caldo de galinha e refogue até formar um molho um pouco seco. Coloque então o arroz e a cenoura, adicionando água fervente até cobrir tudo.Tampe a panela e deixe engrossar.sirva quando todos os ingredientes estiverem macios (colocando, se necessário, mais água fervente no cozimento).


Sopa de tomate

1 cebola picada
2 colheres (das de sopa) de manteiga
250g de tomates
Sal
Salsinha
Orégano
1 tablete de caldo de carne
1 xícara (das de chá) de arroz lavado e escorrido
Pedaços de pão torrado


Coloque a manteiga na panela e acrescente a cebola, doure-a. Acrescente os tomates em pedaços e tempere com sal, um galinho de salsinha e uma pitada de orégano, deixando refogar com a panela destampada. Retire do fogo, bata tudo no liquidificador e leve o creme obtido ao fogo juntando o caldo de carne dissolvido em 1 litro de água fervente e o arroz. Deixe cozinhar até que o arroz fique mole. Sirva com os pedaços de torrada.

O RITUAL:

    Inicie tomando um banho de ervas. Vista-se com sua roupa ritualistica, ou uma roupa limpa, reservada para este fim e arrume o seu altar, voltado para o norte. Em torno dele, trace um círculo com cerca de 3m de diâmetro, usando giz ou tinta branca. Decore o altar com azevinho, visco ou qualquer outra erva sagrada para este Sabbat.

Coloque uma vela de altar branca no centro do altar. à sua esquerda coloque um cálice com vinho tinto ou sidra e um incensório. Qualquer uma das seguintes fragrâncias de incenso é apropriada para esse ritual: louro, cedro, pinho ou alecrim. à direita da vela coloque um punhal consagrado e um prato com sal. Por trás do altar, um galho de carvalho de Natal com 13 velas vermelhas e verdes enfeitando-o.

Pegue o punhal com a mão direita e tire um pouco de sal com a ponta da lâmina. Deixe-o cair no círculo. Repita três vezes e diga: ABENÇOADO SEJA ESTE CÍRCULO SAGRADO DO SABBATH EM NOME DO GRANDE DEUS. O SENHOR DIVINO DAS TREVAS E DA LUZ, O DEUS DA MORTE E DE TODAS AS COISAS DO ALÉM, ABENÇOADO SEJA ESTE CÍRCULO SAGRADO DO SABBATH EM SEU NOME.

Coloque o punhal de volta em seu lugar no altar. Após acender o incenso e a vela, mais uma vez pegue o punhal com a mão direta. Mergulhe a lâmina no cálice e diga: OH GRANDE DEUSA, MÃE TERRA DE TODAS AS COISAS VIVAS, NÓS NOS DESPEDIMOS, POIS VAMOS DESCANSAR. ABENÇOADO SEJA! E NÓS TE DAMOS AS BOAS-VINDAS, OH GRANDES DEUS DA CAÇA, PAI TERRA DE TODAS AS COISAS VIVAS. ABENÇOADO SEJA! ÁGUA, AR, FOGO, TERRA, NÓS CELEBRAMOS O RENASCIMENTO DO SOL. NESTA NOITE ESCURA, A MAIS LONGA, ACENDEMOS O LUME DAS VELAS SAGRADAS.

Coloque o punhal de volta no altar. Pegue o cálice com ambas as mãos e, enquanto o leva aos lábios, diga: BEBO ESTE VINHO EM HONRA A TI, OH DEUS DE TODAS AS COISAS SELVAGENS E LIVRES. AGRADECEMOS A TI PELA LUZ DO SOL. SALVE, OH GRANDE CORNÍFERO!

Beba o vinho e coloque o cálice no seu lugar no altar. Acenda as 13 velas no ramo da árvore de Natal e encerre o Ritual do Solstício de Inverno, dizendo: O FOGO DO RAMO SAGRADO DO NATAL ARDE, A GRANDE RODA SOLAR GIRA MAIS UMA VEZ. QUE ASSIM SEJA!

Celebre, com alegria, num banquete com a família e os amigos até que a última vela da árvore se apague.

Fonte: 'Wicca - A Feitiçaria Moderna', de Gerina Dunwich